Questões de corpo, envolvendo gênero, sociabilidade e experiência urbana foram alguns dos assuntos mais abordados nas dissertações do Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCom) da Uerj, no ano de 2014. Entre os trabalhos publicados, pode-se encontrar discussões sobre o papel da mídia na construção das representações sociais, no que diz respeito ao universo do gênero e da sexualidade; representações do corpo em bailes de comunidades cariocas; e a importância da materialidade na “produção de presença” e na promoção de uma “cultura do encontro”.

Por meio de metodologias distintas, as pesquisas “O ‘segredinho’ que não é mistério: corpo e transexualidade no discurso jornalístico popular, de Fábio Grotz; “Corpo em festa: Juventude, sociabilidade e produção de sentidos nos bailes cariocas”, de Kath Pacheco; e “Fé na ponta dos dedos: cultura do encontro e produção de presença na jornada de Francisco”, de Joice Reis, analisam a importância do corpo em contextos particulares.

A pesquisa de Fábio Grotz consiste em um estudo do discurso que os jornais cariocas Meia Hora e Expresso constroem sobre a transexualidade, especialmente sobre a ex-participante do programa Big Brother Brasil, Ariadna Silva. Para o autor, o histórico patriarcal e religioso do país trouxe modelos de regulações e proibições. A ideia de culpa e pecado são associadas até hoje a desejos e comportamentos sexuais. Assim, por essas e outras razões, a exposição do universo trans, feita pela imprensa em geral, é caracterizada como superficial, sensacionalista e de cunho desviante. Nos veículos analisados, utiliza-se uma linguagem satírica para falar sobre o gênero e o corpo da personalidade em questão.

Já Kath Pacheco foca o seu trabalho nas representações do corpo em festa. Em sua pesquisa, são analisados dois bailes de comunidades cariocas: o baile coletivo de debutantes, promovido pela Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) para o público feminino; e o baile do passinho, uma vertente do funk que atrai meninos das comunidades. “O objetivo do trabalho é observar nos jovens que participam dos bailes supracitados a maneira pela qual seus corpos são ‘adequados’ para tais festas e quais os aspectos que influenciam e afetam a construção da identidade juvenil”, escreve a autora.

Fé na ponta dos dedos: cultura do encontro e produção de presença na jornada de Franciscotraz um novo viés sobre o corpo. A dissertação destaca a importância da materialidade, ao considerar a experiência sensorial e o engajamento corpóreo entre o líder religioso e os brasileiros na sua visita ao país durante a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. Joice Reis investiga, por experiência prática, como o contato pessoal, capaz de tocar efetivamente as pessoas, pode representar uma adequação no estilo de agir e de comunicar de uma das instituições mais influentes do mundo.

Em 2014, outros temas ainda foram discutidos nas dissertações do Programa de pós-graduação em Comunicação da UERJ. O esporte, por exemplo, foi tema de dois trabalhos. Filipe Mostaro observou as narrativas estabelecidas pela mídia acerca das derrotas e vitórias da seleção brasileira de futebol nas copas de 1970, 1982, 1990 e 1994; e Fausto Amaro abordou a representação do herói olímpico no Jornal do Brasil, na segunda metade do século XX.

As tecnologias ganharam espaço nos trabalhos de Ivan Mussa, que estudou a “exploração de ambiente” em jogos eletrônicos; Alessandra Maia teve como objeto de estudo a criatividade em produtos de entretenimento, com foco em jogos de videogame; Cynthia Maciel pesquisou as estratégias da The Walt Disney Company em sua página no Facebook; e Grécia Falcão abordou as novas formas de fazer e distribuir a fotografia cinematográfica.

O PPGCom UERJ tem conceito 5 na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), órgão vinculado ao Ministério da Educação. A nota máxima concedida é 7. Os trabalhos produzidos buscam debater temas importantes para a sociedade na atualidade e refletir seus impactos na forma de comunicar.

Para ler na íntegra as dissertações citadas e saber mais sobre o PPGcom Uerj, acesse: http://www.ppgcom.uerj.br/?page_id=1512